Diz Manoel Carlos de Andrade séc. XVIII" Os Homens, que fazem profissão da Nobre Arte de Cavalaria, já dissemos são estimados, pois os bons cavaleiros não podem deixar de ser dotados das seguintes qualidades: Eles devem ter destreza, valor, e prudência, uma compreensão penetrante, uma particular inteligência da filosofia, e leis do movimento, inclinação aos excelentes cavalos e aversão aos de pouco préstimo, um génio altivo, e dócil, uma alma grande, e um juízo inteligente, elevado e discursivo".

Martim Ferreira da CunhaMartim Ferreira da Cunha

Discípulo de António Borba Monteiro desde 2004, monitor de equitação, cavaleiro da quadra no ensino e competição desde 2005. Frequentou os cursos de Gestão Equina - Alter do Chão e Aperfeiçoamento Equestre no Cadre Noir de Saumur. Responsável pela formação, iniciação e acompanhamento de jovens cavaleiros e cavalos na competição. Coordenador das vária atividades na STAL. Idiomas: Português, Francês, Espanhol e Inglês.

Francisco Corrêa HenriquesFrancisco Corrêa Henriques

Discípulo de António Borba Monteiro desde 1998, cavaleiro da quadra no ensino e na competição desde 2002. Formado em gestão com mestrado em finanças pela Universidade Católica Portuguesa, além de cavaleiro dá apoio técnico na gestão e promoção das várias atividades da STAL.